SIGN UP FOR NEWS

Como podem os africanos fazer ouvir a sua voz nas instituições internacionais?

Historicamente, os africanos não têm sido bem representados nas instituições internacionais. Isto é um problema: estas organizações são fundamentais para enfrentar problemas como alterações climáticas e a Covid-19.

Mas com um nigeriano a liderar a Organização Mundial do Comércio e um Etíope a liderar a Organização Mundial de Saúde, isso pode estar a mudar.

Mas será que isto está a acontecer suficientemente depressa? Como podem os africanos assegurar-se de que as suas vozes são ouvidas na cena mundial?

Pedro Matos trabalha para o Programa Alimentar Mundial há mais de uma década. Fez parte da equipa que ganhou o Prémio Nobel da Paz em 2020 e trabalha agora no Sudão, fornecendo alimentos e assistência a mais de seis milhões de pessoas.

Mutemi Wa Kiama está um activista de Nairobi, Quénia. Ele é conhecido por fazer campanha contra a ajuda sob a forma de empréstimos internacionais.

A Dra Oby Ezekwesili está ex-ministra da Educação do governo nigeriano. Foi também Vice-presidente do Banco Mundial para a Região de África.

Mutemi Wa Kiama, Oby Ezekwesili, Pedro Matos